9º Batalhão de Engenharia de Combate - NPOR
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva

 

O Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR) do 9º BE Cmb foi criado por meio da Portaria nº 265-EME, de 3 de julho de 2017, publicada no Boletim do Exército nº 28/2017, de 14 de julho de 2017, e desenvolverá suas atividades a partir de 1º de janeiro de 2018, ficando subordinado ao 9º Batalhão de Engenharia de Combate, Batalhão Carlos Camisão, para efeito de planejamento, orientação e supervisão das atividades de instrução e adestramento.

A missão do NPOR é promover a formação do Oficial da Reserva de 2ª classe, por meio do desenvolvimento moral, ético, físico, intelectual e afetivo, de modo que possa ser um agente de difusão dos valores e tradições do Exército Brasileiro e, também, ser um cidadão consciente dos seus deveres e direitos perante a sociedade civil.

Os candidatos à seleção para o NPOR/9º BE Cmb serão recrutados entre cidadãos convocados para a prestação do serviço militar inicial, brasileiros natos considerados aptos na seleção geral, e matriculados, no mínimo, no último ano do Ensino Médio. Os candidatos que atenderem aos requisitos para matrícula no NPOR, após a seleção, serão submetidos a uma entrevista e aos exames de aptidão física e intelectual.

O candidato selecionado será então incorporado na condição de Aluno do NPOR, e para que possa desempenhar suas obrigações universitárias, cumprirá uma carga horária de 4 (quatro) horas diárias de atividades, das 08:00 às 12:00 horas, no período da manhã, recebendo uma remuneração inicial em cerca de R$ 1.114,00. Durante as férias escolares, o período de instrução será integral.

O ano de instrução do NPOR é dividido em duas fases: Período Básico (PB) e Período de Formação e Aplicação (PFA). Em aproximadamente 10 meses, o aluno é submetido à formação do combatente básico no PB, e posteriormente, no PFA, ele receberá os conhecimentos técnicos da Arma de Engenharia, e outros conhecimentos específicos relativos às funções que poderá desempenhar como oficial do Exército.

Ao concluir o curso com êxito, o aluno será declarado Aspirante-a-Oficial da Reserva não remunerada da Arma de Engenharia e, caso ele seja voluntário, e conforme a disponibilidade de vagas, poderá prosseguir na carreira das armas, como oficial temporário em uma organização militar do Exército, por até sete anos, recebendo uma remuneração inicial em cerca de R$ 6.625,00.

Assim, em um ambiente saudável, que cultiva valores como o patriotismo, o civismo, a fé na missão do Exército, o amor à profissão, o espírito de corpo e o aprimoramento técnico-profissional, o jovem aluno do NPOR, futuro oficial da reserva, é forjado e formado, intelectual, moral e fisicamente, cônscio de seus deveres de soldado e cidadão, e pronto a contribuir para a grandeza do Brasil

Fim do conteúdo da página